Vestibular IFSP

Texto I A idéia para uma crônica me vem sempre como uma expe 110553

Texto I

A idéia para uma crônica me vem sempre como uma experiência de alegria, mesmo que o assunto seja triste. Ela aparece repentinamente, nos momentos mais inesperados, como a visão de uma imagem. O que tento fazer é simplesmente pintar com palavras a cena que se configurou na minha imaginação.

Sou psicanalista. Meu trabalho se baseia na escuta. Cada cliente fala e, ao fazer isso, me permite andar nas paisagens da sua alma. Ao escrever uma crônica, faço o contrário: sou eu que ofereço as paisagens da minha alma aos olhos dos meus leitores. E eles, sem o saber, são os meus psicanalistas.

O escritor não é alguém que vê coisas que ninguém mais vê. O que ele faz é simplesmente iluminar com seus olhos aquilo que todos vêem sem se dar conta disso. E o que se espera é que as pessoas tenham aquela experiência a que os filósofos Zen dão o nome de satori: a abertura de um terceiro olho, para que o mundo já conhecido seja de novo conhecido como nunca o foi.

 

Rubem Alves. O retorno e o terno. Campinas: Papirus, 1997.

Julgue o item seguinte, relativo às idéias contidas no texto I.

Para o autor do texto, o escritor é aquele que pode proporcionar ao leitor uma experiência nova com o que já é conhecido.

Questão no QuestionsOf: Texto I A idéia para uma crônica me vem sempre como uma expe 110553

Questões similares